Defesa de Trump pede recusa do processo de impugnação pelo Senado

0
11566

A equipa de defesa do Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, entregou ao Senado nesta segunda-feira, 20, a sua argumentação contra o o processo de impugnação, um dia antes do início do julgamento.

“Os artigos [acusações de impugnação] – e o processo que levou à aprovação deles – são um acto político vergonhoso da Câmara dos Representantes e que devem ser rejeitados”, argumentam os advogados na nota em que defendem a recusa do processo formal por ser “um acto político vergonhoso da Câmara dos Representantes”.

No texto, os advogados de Trump consideram o procedimento “falho”, que o objectivo dos democratas “nunca foi buscar a verdade” e sustentam que o processo é um “ataque perigoso à democracia”.

Os sete deputados do Partido Democrata que actuam como procuradores no julgamento alegam que a destituição do Presidente é necessária para “garantir a integridade das eleições de 2020”, em que o republicano tentará a sua reeleição.

A acusação parte de uma ligação em Junho para o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy, em que Trump condicionou uma visita à Casa Branca e o desbloqueio de verbas de ajuda militar a uma investigação sobre negócios do filho do ex-vice-presidente e um dos pré-candidatos democratas Joe Biden por parte dos ucranianos.

Em Dezembro a impugnação de Trump foi aprovada na Câmara dos Representantes, abrindo caminho para o julgamento em que os senadores podem absolver Trump ou condená-lo e, assim, retirá-lo definitivamente do cargo.

Ao contrário da Câmara, onde os democratas são maioria, o Partido Republicano tem maioria no Senado, com 53 representantes.

Para que ele perca o mandato, dois terços dos senadores precisam votar contra, ou seja, além dos 43 senadores democratas e quatro independentes, seriam necessários os votos de mais 20 republicanos para somar os 67.

Observadores não admitem qualquer condenação do Presidente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here