Afinal o administrador não é surdo

0
476

Várias foram as reclamações em relação à sarjeta do quarteirão L, sim, aquelas mesmos que volte e meia está a jorrar água com  cheiro nauseabundo, afinal já foram feitas algumas intervenções, e desta vez, para não variar, por conta das últimas chuvas, parece que aqueles esgotos voltaram a  jorrar água pela avenida abaixo.

E fomos saber o que se passa de concreto, e qual foi o nosso espanto! Depará-mo-nos com uma realidade diferente, imagens da quantidade de lixo que saiu da mesma sarjeta, o pessoal da administração mostrou-nos estas imagens que nos levaram a reflectir, afinal, de alguma forma, algum  trabalho tem sido realizado.

Mas nós como cidadãos, afinal também não fazenmos bem a nossa parte, que é de cuidar o bem público que é de todos nós, porque senão vejamos, apontamos o dedo, reclamamos, dizemos que a administração não faz nada, mas a verdade e que quem coloca ou colocou este lixo todo nas sarjetas que em princípio é só para o escoamento das águas residuais? Hamm pois, somos nós moradores, que passamos a vida a reclamar mas sem apontar soluções, mas claro às nossas reclamações muitas vezes são legítimas e outras vezes  são eivadas de más intenções.

Sim! Reclamámos, e afinal o administrador não é surdo, ouve as reclamações, muitas delas, feitas de maneira exacerbada, com alguma falta de respeito e sem a ponderação necessária, ainda assim, o homem como servidor público, engoliu a seco as reclamações e  meteu a sua equipa a trabalhar, e lá está o resultado, esgoto entupido, com bastantes resíduos, sacos com lixo, roupas velha, absolvente, enfim, objectos que deviam ser deitados no contentor, mas estavam lá nas condutas dos esgotos, significa que alguém os colocou lá.Quem será?

Concluímos que nós os moradores é que também ajudamos a estragar, danificar, destruir um bem nosso e depois somos os primeiros a apontar as falhas e a dizer que a administração não faz nada.

Vamos reflectir nisto, devemos continuar a criticar sim, mas com urbanidade, respeito e educação e mais, devemos também ajudar na gestão do bem de todos nós. Devemos apontar soluções, reclamar nas entidades de direito e não nos escondermos nas redes sociais para insultarmos aqueles que de alguma maneira fazem o seu trabalho.

Vamos fazer a nossa parte, mas sem precisar chocar com ninguém, afinal, a cidade é de todos nós, governantes e governados.

Por:Hélder Ganga

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here