Administração de Belas fecha ruas e encerra armazéns comerciais no Benfica

Segundo o GPL diz que, a medida visa combater venda desorganizadaAs ruas, travessas e armazéns comerciais na zona do antigo controlo, nas imediações do Tribunal de Comarca do Benfica, estão a ser encerradas pela Administração Municipal de Belas no âmbito da estratégia do combate à venda desorganizada em Luanda, uma situação que preocupa centenas de vendedoras, que fazem daquele local o seu ganha-pão, mas contenta os moradores, constatou o Novo Jornal no local.

0
510

Na conhecida rua da praça do “kwankwaram” todos os armazéns e casas de processo (locais onde são guardados bancadas e mercadorias) foram encerrados esta quinta-feira por fiscais da Administração de Belas.As ruas estão a ser fechadas, como ilustra a foto, e as vendedeiras impedidas de continuar a comercializar no local.No terreno, as comerciantes são sensibilizadas por fiscais e agentes da administração de Belas a abandonar a venda desordenada em locais impróprio.

A Polícia Nacional, através da sua Unidade de Reacção e Patrulhamento, está no local, enquanto o habitual corre-corre entre fiscais e “zungueiras” se sucede. Ao Novo Jornal, as comerciantes dizem que não é certo deixar o local, fundamentando que o custo de vida é a razão que as coloca nas ruas.

Os moradores dizem que a medida do Governo Provincial de Luanda (GPL) é acertada porque a venda desordenada no local os tira-lhes a paz. Marques Manuel, morador da rua do “kwankwaram”, que viu a sua lanchonete encerrada, por estar ilegal, diz que não concorda que as senhoras fazem das ruas mercados.

Armando João e Elísio de Almeida concordam que as zungueiras abandonem o local, uma vez que a rua de acesso ao tribunal, asfaltada, não beneficia os moradores, mas sim os comerciantes que impedem a circulação de veículos.”Era demais, as pessoas vendiam em todo o lado e não respeitavam sequer os moradores e até mesmo as autoridades.

Assim está bom”, contaram os moradores.Já o GPL, assegura que a medida surge no âmbito da estratégia do combate a venda desorganizada em Luanda traçada pelo Governo em Novembro.Wilson dos Santos, director do gabinete de comunicação institucional e imprensa do GPL, disse ao Novo Jornal que o Governo aprovou uma estratégia para a mitigação da venda desordenada e os vendedores serão encaminhados para outros mercados.

Segundo Wilson dos Santos, este reordenamento do comércio visa também permitir que as vias, outrora obstruídas, fiquem desimpedidas.”O reordenamento do comércio permite igualmente a desobstrução das vias que, até sábado passado, se encontravam intransitáveis devido à venda em locais inapropriados”, explicou o também porta-voz do GPL. Quanto ao encerramento dos armazéns comerciais, Wilson dos Santos disse ser apenas provisórios, uma vez que estão ilegais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui