Passageiros que viajavam para a África do Sul retidos no Lubango

0
744

Mais de 100 passageiros da companhia aérea nacional TAAG, que seguiam viagem para a cidade de Joanesburgo, África do Sul, este domingo, 03, ficaram retidos no Lubango, província da Huíla, após o avião em que viajavam ter apresentado uma avaria, o que provocou uma aterragem no aeroporto da Mukanka, também conhecido como Aeroporto do Lubango, onde pernoitaram. Os passageiros serão trazidos de regresso a Luanda para um novo embarque esta manhã, soube o Novo Jornal.

Os passageiros só foram levados para as unidades hoteleiras do Lubango por volta da meia-noite, depois de vários protestos, o que terá levado o governador provincial da Huíla, Nuno Mahapi Dala, a acalmar os ânimos dos passageiros no aeroporto.

A TAAG ainda não se pronunciou sobre o assunto. O Novo Jornal tentou ouvir reações do seu gabinete de comunicação e imagem, mas sem sucesso. Segundo os passageiros, o vôo que consta dos bilhetes de passagem, com destino a Joanesburgo, marcado para as 10:30 desde domingo, era o DT 577 e não 737/700, que avariou.

“Sabemos que os voos internacionais partem do Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro. Mas vimos que isso não era problema, e já na zona do Kuando-Kubango fomos informados que o avião estava com problemas técnicos e aterrámos no Lubango”, contou um dos passageiros ao Novo Jornal. “Aterrámos por volta das 14:00 e disseram-nos que tínhamos de esperar pelos técnicos que vinham de Luanda para tratarem da avaria e depois seguirmos viagem”, prossegue o passageiro. “Infelizmente, ficámos no aeroporto sem qualquer informação, o que levou as pessoas a exaltarem-se, o que fez com que a Polícia interviesse”, disse.

O Novo Jornal soube junto dos passageiros que havia pessoas que tinham de apanhar outros voos, já agendados, na cidade de Joanesburgo, para outros pontos da África do Sul e da Europa. “Neste momento nos perguntamos, quem vai nos pagar os voos que perdemos? Porque na TAAG agora ninguém quer dar a cara”, questionam os visados. O Novo Jornal soube entretanto que a avaria não foi ainda superada e que o 737/700 continua no Lubango a ser consertado.

Os passageiros estão agora a ser retirados dos hotéis onde pernoitaram para embarcarem de regresso a Luanda. “Nos disseram agora que temos de regressar a Luanda para apanharmos outro avião para Joanesburgo”, contou um dos passageiros que preferiu não ser identificado.

Dizer que até ao momento a companhia aérea nacional TAAG não se pronunciou sobre este assunto, mas o Novo Jornal vai continuar a insistir.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui