Decorre vacinação contra a pólio no centro de saúde do R

0
283

Arrancou este sábado (08) em todo o país, mais uma campanha de vacinação contra poliomielite, em que se prevê imunizar 5 milhões 431 mil e 232 crianças menores de cinco anos, até o dia 11 de Setembro, com o objectivo de reforçar o estado de imunidade, tendo em conta a situação epidemiológica da doença a nível do continente africano.

Na cidade do Kilamba a campanha de vacinação decorre no centro de saúde do quarteirão R e na igreja católica Santíssimo Redentor.

Países como o Malawi e Moçambique, não tão distantes de Angola, estão a registar o surgimento do pólio vírus e outras variantes da doença, daí que as autoridades sanitárias do país tenham decido realizar esta campanha, como forma de prevenir uma possível importação do vírus. Uma decisão inteligente, pois, segundo uma máxima bastante conhecida entre nós, “mais vale prevenir que remediar”.

A campanha também se justifica pelo facto de, durante o período mais intenso da pandemia da Covid-19, ter havido um abrandamento da cobertura de vacinação contra a poliomielite.

Além da vacina contra a poliomielite, a ser administrada por meio de gotas orais, crianças de 16 províncias – excepto a Luanda e Huíla – também vão receber a vitamina A, elemento indispensável para garantir a saúde dos olhos (manter uma boa visão e hidratação da superfície ocular) e a renovação adequada das células que compõem os tecidos do corpo.

Durante a campanha, que se estende até à próxima segunda-feira, vão ser, igualmente, administradas doses de albendazol (desparasitante) a 424.992 crianças dos dois aos quatro anos, nas províncias de Malanje, Moxico, Lunda-Norte, Lunda-Sul, Zaire e Uíge, por serem as mais endémicas aos parasitas intestinais.   

Haverá equipas de vacinação em locais fixos e lugares de grande concentração populacional, como mercados e igrejas, mas também, e sobretudo, vacinadores que vão passar de casa em casa para imunizar as crianças. Por isso, não há razões para que crianças fiquem desprotegidas, isto é, sem ser vacinadas.

info@kilambanews.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui