Criador da ‘Lei de Moore’ morre com 94 anos

0
3070

O cofundador da fabricante de semicondutores Intel, Gordon Moore, que criou uma teoria sobre a evolução tecnológica dos chips de computador, morreu na sexta-feira com 94 anos, informou a sua antiga empresa.

Em 1968, o doutor em química fundou a NM Electronics com o físico Robert Noyce, apelidado de “Mayor of Silicon Valley” (Presidente da Câmara de Silicon Valley).

Alguns meses mais tarde, os dois homens compraram o nome Intel, por 15.000 dólares.

Gordon Moore foi diretor-executivo da empresa de 1979 a 1987.

Em 1971, a Intel comercializou o primeiro microprocessador, um processador programável contendo vários milhares de transístores, uma revolução.

Hoje em dia, a Intel é o maior fabricante de semicondutores dos Estados Unidos e o terceiro maior do mundo em receitas, atrás da Samsung da Coreia do Sul e da TSMC de Taiwan.

Em 1965, enquanto funcionário noutra empresa, Fairchild Semiconductor, Gordon Moore previu num artigo publicado na revista Electronics que a densidade de transístores em microprocessadores iria duplicar todos os anos.

Modificou a projeção em 1975, para uma duplicação a cada dois anos. Outro pioneiro dos microprocessadores, Carver Mead, chamou a esta profecia a Lei de Moore.

A evolução das capacidades do microprocessador seguiu a Lei de Moore durante décadas, multiplicando o desempenho da eletrónica e da computação enquanto reduzia os seus custos.

“O mundo perdeu um gigante, um dos fundadores de Silicon Valley e um verdadeiro visionário, que preparou o caminho para a revolução tecnológica,” escreveu na rede social Twitter o diretor-executivo da Apple, Tim Cook.

Os especialistas preveem que a Lei de Moore não tardará deixar de ser aplicada devido aos limites físicos da integração de transístores num microprocessador.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui