Como os catadores melhoram a gestão ambiental das zonas urbanas? Por Mr. Aleksander JF

0
4365

“Não são vagabundos, pedintes ou dementes, mas sim Catadores de Resíduos Recicláveis ( Lixo), ganhando assim o pão, trabalhando na melhoria da gestão de resíduos das nossas cidades” (Mr. Aleksander JF)

O CATADOR de lixo, é um trabalhador urbano que recolhe os resíduos sólidos recicláveis, tais como plástico, papelão, alumínio, ferro, vidro e outros, de modo a enviá-los para a Reciclagem.

Com o agravar das condições sócio-económicas do país, muitas foram as famílias que perderam o poder de compra, vendo os seus membros desempregados e/ou sem oportunidades a um primeiro emprego. Desta feita, algumas destas famílias viram na actividade de catação de resíduos recicláveis o seu ganha-pão.

Apesar de serem facilmente confundidos como pessoas que apanham lixo ou dementes, os profissionais desta área “Catadores de Resíduos Recicláveis”, desempenham um papel de grande importância na melhoria da qualidade ambiental dos centros urbanos e não só, pois, são fundamentais na gestão de resíduos sólidos, agregando valor ao processo da recolha selectiva, triagem, processamento e comercialização de materiais recicláveis como plásticos, metal, papel, papelão, vidro, ferro, etc.

Funcionamento do Processo de Catação

Os profissionais desta área, sem qualquer treinamento específico e desprovidos de qualquer equipamento de protecção e, em muitos casos, procuram de casa à casa, contentor a contentor, lixeira à lixeira e até algumas vezes nos aterros sanitários, resíduos que possam ser reutilizados, reparados para uso próprio ou venda, bem como resíduos que podem ser pesados e enviados para reciclagem, servindo posteriormente como matéria-prima para produção de novos produtos. Estes profissionais trabalham individualmente, ou algumas vezes em pequenos grupos de pessoas afectivamente próximas, em alguns casos criam-se Cooperativas (práctica bastante avançada no Brasil), que dá um outro estatuto e possibilita alcançar um número maior de resíduos recicláveis e por sua vez maior renda dos associados.

Em Angola, é cada vez mais crescente o número de pessoas que vão realizando esta actividade, na sua maioria pessoas de baixa renda e de baixo nível de escolaridade, mas que procuram ganhar dinheiro para sustento das suas famílias de forma digna, sem recorrer à práticas pouco abonatórias. Todos os dias enfrentam preconceito, maus tratos, ofensas e violência de outras pessoas. Infelizmente, estas pessoas não têm a capacidade de perceber o benefício que a actividade de catação, quando bem feita, trás para elas e para o Ambiente. Uma solução à violência sofrida, as condições precárias de trabalho e ao não pagamento justo dos resíduos catados e a criação de Cooperativas Municipais de Catação; esta melhoraria as condições de trabalho dos catadores e defenderia os interesses dos associados juntos dos órgãos competentes, bem como aumentaria a renda das famílias envolvidas.

Benefícios ambientais da actividade de Catação

É mediante o processo da catação que mais facilmente assegura-se o reaproveitamento dos resíduos através da aplicação de 3 princípios básicos da Gestão de Resíduos, “Princípio dos 3 R´s (Redução, Reutilização e Reciclagem), pelo que em países muito avançados no processo de reciclagem como o Brasil, a actividade de catação é responsável pela reciclagem de cerca de 90% (fonte: Instituto de Pesquisa Económica Aplicada – IPEA). A nível nacional, apenas 15% dos resíduos são reutilizados ou reciclados (Joaquim Manuela – Secretário de Estado do Ambiente, 2019) e de acordo com o levantamento feito pelo NPEGA (Núcleo de Pesquisa e Educação de Gestão Ambiental), cerca de 98,5% dos resíduos reciclados em Luanda, a recolha é feita pelos Catadores de Resíduos Recicláveis.

A maior parte das pessoas que trabalham nesta actividade têm um nível de instrução muito baixo, o que de certa forma impacta negativamente na maneira como realizam a actividade de catação. Daí, ser importante o apoio do estado, da sociedade e sobretudo dos agentes ambientais de forma a munirem estes profissionais com recursos necessários e elevarem o nível de conhecimento dos mesmos. Se assim for, os benefícios ambientais serão enormes, entre eles:
-Redução na exploração dos recursos naturais para produção de matéria-prima;
-Menos poluição atmosférica por parte das indústrias;
-Menor consumo de água e energia;
-Menos poluição plástica no solo e nos cursos de água;
-Calçadas e parques recreativos mais limpos;
-Menos sargetas e valas de drenagens obstruídas com resíduos sólidos;
-Praias mais limpas;
-Contribuição para redução da proliferação de mosquitos, eliminando condições para estagnação de água;
-Aumenta o tempo de vida útil dos aterros sanitários e diminui o volume de lixo nas lixeiras, uma vez que parte dos materiais que iria a estes locais são reciclados ou reutilizados;
-Criação de postos de trabalho, aumentando a renda de muitas famílias e diminui a mendicidade nos centros urbanos.

Desta feita, não há dúvidas de que os Profissionais de Catação de Resíduos, apesar dos recursos escassos disponíveis, realizam honestamente uma actividade de grande utilidade pública, de que todos nós, directa ou indirectamente nos beneficiamos. Por este facto, o mínimo que cada um de nós deve fazer é trata-los com respeito.

“Cuidar do Ambiente é uma responsabilidade de todos”

Por Aleksander Mr. JF

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here