Jovens protestam contra taxa da UAN

0
462

Pelo menos 20 jovens, membros do Movimento de Estudantes Angolanos, marcharam nesta quinta-feira, em Luanda, para protestar contra a aplicação de uma taxa de inscrição de AKZ quatro mil, pela Universidade Agostinho Neto (UAN).

A marcha, que se previa terminar no Ministério das Finanças, foi interrompida no Largo da Independência, depois de negociações entre os manifestantes e a Polícia Nacional.

No quadro das negociações, cinco integrantes do grupo de manifestantes, acompanhados da Polícia Nacional, encaminharam-se àquele ministério, para proceder à entrega da reclamação.

Os manifestantes consideram excessiva a taxa aplicada pela UAN e apontam o facto de, em 2017, a taxa cobrada ter sido inferior a quatro mil kwanzas.

O porta-voz da marcha, Francisco Teixeira, explicou à Angop que esse acto de repúdio resultou de uma recusa da UAN de responder a carta dirigida, recentemente, por aquele movimento.

Disse que uma segunda carta foi endereçada aos responsáveis do Ministério do Ensino Superior, que se mostraram disponíveis para dialogar com o grupo na sexta-feira (4 de Janeiro).

Entretanto, o director do gabinete de comunicação institucional da UAN, Arlindo Isabel, declarou que a taxa de AKZ quatro mil (para uma opção) e seis mil (para duas opções) “tem fundamento científico”.

Explicou que as taxas derivam de um estudo que data de 2015 sobre os custos administrativos e logísticos de um processo não coberto pelo Orçamento Geral do Estado (OGE), que, por conseguinte, se auto sustenta através da taxa cobrada aos candidatos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here