Produtos electrónicos expostos na capital

0
2590

Mais de 50 expositores, entre chineses e angolanos, participam, a partir de hoje, na Cidade da China, centro comercial situado no Pólo Industrial de Viana, em Luanda, na primeira edição da Feira Chinesa de Produtos Digitais e Electrónicos em Angola.

De iniciativa da empresa chinesa Dong Fang Hua Quiang, a feira traz a Luanda empresários e representantes de fabricantes de aparelhos digitais e electrónicos de origem chinesa e vai decorrer durante um mês, podendo o período ser alargado de acordo com a adesão do público.

A informação foi avançada ontem ao Jornal de Angola por Daniel Talaia, um dos responsáveis pela organização da feira, que disse estarem preparados mais de 50 stands para albergar os expositores, encontrando-se no grupo de chineses distribuidores residentes em Angola.

Até ontem, estava confirmada a presença de mais de 50 expositores, 15 dos quais angolanos que vendem telemóveis e outros aparelhos electrónicos no mercado informal da província de Luanda.
A ideia de convidar vendedores de materiais electrónicos dos mercados do Kikolo, Congolenses e do Panga-Panga deve-se à necessidade de impulsionar o empreendedorismo e troca de experiências comerciais, salientou Daniel Talaia.
“Não podemos deixar de fora essas pessoas, porque são elas que, na sua maioria, compram aos grossistas para venderem a retalho noutras localidades do país”, reconheceu o responsável.

Daniel Talaia acentuou que a feira tem como objectivo promover e comercializar produtos diversificados e de boa qualidade tecnológica e, também, fazer a divulgação da superfície comercial de materiais digitais e electrónicos da Dong Fang Hua Quiang, em funcionamento na Cidade da China e onde vai decorrer a exposição.

“Já temos tudo pronto e só estamos à espera do dia da abertura”, explicou Daniel Talaia, que disse ser a feira o início de um processo que pode dar origem à criação de uma indústria de produtos de alta tecnologia em Angola.
“Pretendemos dinamizar e desenvolver uma indústria, começando pela feira”, acentuou Daniel Talaia, confirmando que, durante o evento, vão ser comercializados telemóveis, computadores, máquinas fotográficas, electrodomésticos, aparelhos de som e câmaras de vídeo-vigilância.

Os preços vão ser atractivos e ao alcance de qualquer bolso, garantiu Daniel Talaia, acentuando que vão estar, por exemplo, à venda telemóveis a 2.500 kwanzas, o preço mais baixo, a 350 mil, a 800 mil e a um milhão de kwanzas, os de “top de gama.”

Daniel Talaia confirmou que estão presentes na feira 23 marcas de telemóveis, de computadores e de aparelhos de ar-condicionado, reafirmando que “os preços são para todos os bolsos, uma vez que cada produto tem a sua qualidade.”
O responsável acrescentou que a organização da feira espera receber “o maior número possível de clientes”, uma pretensão que pode ser concretizada por Dezembro ser “um mês propício para compras em promoção e para oferecer presentes de Natal.”

Daniel Talaia garantiu que, durante a feira, não vai faltar mercadoria e assegurou que, quanto mais um cliente comprar, mais ofertas de descontos e promoções vai ter.
A “grande intenção” da organização, de acordo com Daniel Talaia, “é abarrotar o espaço, diariamente.”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui