Papa dita oito passos para acabar com abusos sexuais

0
1467

Francisco, que falava no final da cimeira com responsáveis de episcopados e institutos religiosos que debateram o tema, disse ter chegado a hora de “dar directrizes uniformes para a Igreja”, embora não tenha citado medidas concretas ou mudanças na legislação do Vaticano, enumerando apenas vários pontos para a luta contra os abusos a menores.

“Nenhum abuso deve jamais ser encoberto e subestimado, pois isso favorece a propagação do mal e eleva o nível do escândalo”, começou por dizer perante os 190 representantes da hierarquia religiosa e 114 presidentes ou vice-presidentes de conferências episcopais de todo o mundo que estiveram reunidos desde quinta-feira no Vaticano.

De acordo com o Papa, o primeiro ponto prende-se com a necessidade de “defender as crianças”. Para isso, instou “a mudar a mentalidade para combater a atitude defensiva” de salvaguardar a Igreja.

Reiterou a obrigação de “total seriedade” na Igreja na hora de abordar os casos, e assegurou que não se cansará de fazer o necessário para levar perante a justiça qualquer que tenha cometido tais crimes.
“A Igreja nunca tentará encobrir ou subestimar nenhum caso”, assegurou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui