ENSA aumenta resultado líquido em 150%

0
157

A companhia ENSA-Seguros de Angola registou, durante o primeiro semestre deste ano, um resultado líquido de AKz 1,68 mil milhões, um aumento de 150%, quando comparado com os AKz 667 milhões do mesmo período de 2019.

Não obstante o ambiente sócio-económico desafiante, a sua reestruturação e o saneamento das suas contas, o volume de prémios da seguradora cresceu 33% sustentado pelo crescimento dos seguros de saúde, acidentes de trabalho e automóvel, apesar de se ter registado menos apólices novas, fruto da crise provocada pela pandemia da Covid-19.

Segundo uma nota de imprensa da seguradora, a que a Angop teve hoje acesso, com esse desempenho, a ENSA mantém-se como líder no mercado, com uma quota de 35%, sendo os seguros de saúde, acidentes de trabalho e automóvel aqueles que mais peso têm na carteira, sendo a seguradora líder nestes segmentos.

No período em análise, a seguradora registou uma quebra da taxa de sinistralidade, de 44% em 2019 para 33% em 2020, e um ligeiro aumento de 1% dos custos com sinistros, explicado essencialmente pelo impacto da inflação. Os custos técnicos aumentaram 20% no semestre devido ao reforço das provisões e à abordagem mais conservadora da ENSA em relação às suas responsabilidades.

Os custos operacionais aumentaram 19%, por influência da reestruturação em curso, prevendo-se ainda assim que em 2020 fiquem abaixo do ano anterior. O rácio de cobertura das provisões técnicas situa-se nos 130%, fruto de um esforço para acautelar imparidades e provisões em antecipação dos efeitos do saneamento financeiro em execução do referido Plano Estratégico. A propósito do desempenho assinalável dos primeiros seis meses do ano, o presidente da ENSA, Carlos Duarte, salienta que “os bons resultados do primeiro semestre de 2020 são já o reflexo do Plano Estratégico 2020-2022 e das suas medidas de saneamento financeiro.

Para o segundo semestre, assegura o gestor, a empresa vai manter os objectivos relacionados à melhoria destes resultados, maior capacitação dos colaboradores e a preparação da ENSA para uma privatização bem sucedida. “Os impactos transversais da pandemia são enormes, mas cremos estar no bom caminho para reforçar a solidez e sustentabilidade da ENSA com uma equipa extremamente motivada e focada nas melhores soluções para o cliente”, conclui o presidente da maior companhia de seguros do país.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here