David Gaspar será homenageado esta quarta-feira na Gala do Prémio literário GGMF

0
1233

O grupo GGMF realiza no dia 24 deste mês, às 16h30, na União dos Escritores Angolanos (UEA), a gala de premiação da primeira edição do Prémio Literário GGMF, que consagrou David Gaspar como vencedor, com o livro “542 Anos em Coma”.
A novela de David Gaspar consolidou a vitória ao arrebatar quatro votos do júri  composto por cinco membros, nomeadamente Edson Nuno, David Calivala, Estevão Ludi, Edmira Cariango e Hélder Simbad.

O júri, que recebeu 48 obras durante o processo de análise, teve como critério de avaliação a pertinência da obra, criatividade, capacidade de inovação, qualidade do enredo e respeito à língua.

“Entre todas as outras, “542 Anos em Coma” foi a obra tecnicamente bem conseguida, com argumento suficiente para justificar o seu lugar na primeira edição do Prémio Literário GGMF”, refere o relatório final do júri.

O livro vencedor trata-se de uma novela com uma história interessante, em que predomina a função poética da linguagem. O autor opta por uma recriação da prosa, no plano da sua estrutura externa, dando a ideia da morte das hierarquias, através do não uso das maiúsculas iniciais e da inexistência do ponto final, como sendo a introdução de uma metáfora das continuidades.

“A obra conta a história de meninos de rua, às vezes caracterizados por ‘o menino de meias palavras’, uma criança cuja amiga é ‘a Esperança’”, realça o relatório, acrescentando que o autor faz um jogo com nomes que representam virtudes como esperança, perspectivas e sonhos, como “o Futuro”. “É como se fosse a história do tempo e das pessoas que procuram algo no espaço em que se movem, buscam, esperam e se cansam”.

O prémio tem como objectivos fomentar o gosto pela leitura e pela escrita, defender e valorizar a Língua Portuguesa, incentivar a criação literária, premiar novos autores e divulgar as obras com o nível de excelência que se exige.

Designado de Prémio Literário GGMF, instituído pela Fundação Gianni G. Martins, sem fins lucrativos, deverá acontecer anualmente a 24 de Janeiro em comemoração ao aniversário da Instituição que tem como seu escopo o Desenvolvimento Humano e a Formação do Homem novo.

O trabalho vencedor será publicado em livro pela Fundação, a quem pertencerão os respectivos direitos relativamente à primeira edição, que terá uma tiragem não superior a 350 exemplares. Ao autor do trabalho premiado serão entregues 50 (cinquenta) exemplares da edição promovida pela Fundação e um prémio monetário de um milhão de kwanzas.

Fonte: JA

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui