Luandenses buscam relaxe sem incidentes

0
192

Pouco movimento de trânsito automóvel e de munícipes foi o cenário observado na manhã de ontem, nas ruas da Baixa de Luanda, durante o feriado prolongado, em alusão ao Dia do Início da Luta Armada de Libertação Nacional, a assinalar-se hoje.

No período da manhã e de tarde, o trânsito automóvel era feito sem grandes congestionamentos, muito fluído, ante o olhar atento de agentes reguladores de Trânsito e da Ordem Pública, em variados pontos da cidade. O movimento que é feito num dia normal de trabalho em duas horas, esta segunda-feira fez-se em 15 minutos ou menos.

As paragens de táxi também estavam às moscas, sem passageiros, sem aquela azáfama dos outros dias. Eram muitos os taxistas estaciona-dos em paragens, à espera de clientes que chegavam a conta gotas. E os poucos que seguiam viagem explicavam que “é por causa do feriado”.

Segundo o Jornal de Angola apurou, muitos cidadãos viajaram para o interior, a fim de aproveitar o feriado prolongado em outras localidades fora da capital. “Há Operação Stop nas estradas e as pessoas estão a pensar que os táxis não estão em circulação”, disse um citadino.

A Polícia Nacional está a desenvolver uma operação de prevenção rodoviária, para reduzir a sinistralidade e para que a população desfrute em pleno a tranquilidade e segurança o feriado prolongado, que termina hoje.

Apesar de não haver engarrafamentos, agentes reguladores de Trânsito, bem como de outras forças afectas ao Comando-Geral da Polícia Nacional foram destacados nas mais importantes avenidas e ruas de Luanda, para prevenir acidentes e criminalidade, revistando algumas viaturas.

Vários postos de abastecimento de combustível funcionaram sem grandes filas, com realce para a localizada na nova Marginal de Luanda, como confirmou ao Jornal de Angola o supervisor Francisco Chitula.

Lazer na Ilha

Muitos cidadãos nacionais e estrangeiros passaram ontem momentos de lazer na Ilha do Cabo, Distrito Urbano da Ingombota, em Luanda, aproveitando o sol abrasador e convidativo que se faz sentir nesta altura do ano.

Equipa de Nadadores/Salvadores, afectos ao Serviço de Protecção Civil e Bombeiros, presentes na orla marítima, confirmaram ao Jornal de Angola a presença de cerca de 900 famílias que aproveitaram o feriado prolongado para relaxar e conviver na Ilha do Cabo.

A Ilha do Cabo é geralmente um local de divertimento e lazer dos luandenses, por possuir grande variedade de equipamentos turísticos, bares, restaurantes, discotecas, hotéis e similares, junto ao mar. A família Lopes Silvestre, constituída por 38 membros, decidiu passar o dia na Ilha do Cabo. “Nós gostamos deste lugar. Luanda tem muitas praias, mas a da Ilha é diferente, mágica, onde se pode conversar, dançar, jogar, nadar. Estamos bem”, disse Rosa Silvestre.

O funcionário público Júlio Mercedes, também foi relaxar com a família e disse que não ia à praia da Ilha do Cabo há cinco anos, notando com espanto e agrado a mu-dança ocorrida naquela zona. “É notório a mudança de imagem da Ilha, por isso os seus habitantes e nós os frequentadores devemos preservar o ambiente e os bens públicos postos à disposição”.

Dilson Jorge, Nadador/Salvador, do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros, em plantão de serviço, no feriado prolongado, disse que o dia de ontem era propício para o banho na praia.

“Este é o lugar de preferência de muitos angolanos. A praia está limpa e propícia para o banho. Temos aqui todo o cuidado e protecção para os banhistas”. A forte chuva, no fim da tarde obrigou, os banhistas a deixar apressados a praia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here