Declarações e Atitudes Desprestigiantes

0
Que vergonha!
Oiço muita gente dizer: «Vou fazer xixi»; Vou urinar; «Vou mijar» ou «Vou tirar a água do joelho», que, entre nós angolanos, significa «urinar». Saibam que não é importante dizer o que se vai fazer à casa de banho. Há outras necessidades e actos que podem levar uma pessoa àquele espaço, público ou privado, nomeadamente, urinar, defecar, cuspir, vomitar, lavar as mãos, maquilhar-se (o mesmo que “maquiar-se”), perfumar-se, palitar os dentes, ajeitar uma peça de roupa, como por exemplo, “tirar a cueca da gaveta”, expressão angolana que quer dizer “ajeitar a cueca que fica presa ao rego”. Que chatice! Supõe -se que a maior parte das pessoas já “tirado a cueca da gaveta”, situação que ocorre, quando se usa roupa interior com elástico frágil ou gasto. Eu sei que você nunca “tirou a cueca da gaveta”. Os seus vizinhos e amigos já o fizeram. A sua eventual rival, também.
Voltando à principal questão, pode-se inferir que é deselegante revelar a razão da ida à casa de banho. Basta que se diga: «Vou à casa de banho».
Algumas pessoas simulam que vão à casa de banho (“banheiro”, para os brasileiros), com o propósito de pagar a conta de uma despesa que tenham feito num restaurante ou local similar, surpreendendo, assim, o seu convidado e, por outro lado, evitando que haja hesitações ou simulações do tipo «Pago eu», mas que, na verdade, não se tem a intenção de pagar. «Fingido»! «Sua fingida»! É assim que muita gente faz, quando sai com amigos ou amigas generosos. O mesmo fingimento se repete noutras ocasiões. Infelizmente, os avarentos são assim. Você é avarento, “agarrado”, “canguinha”?! Não acredito!
Para terminar, reitero a ideia de que não é necessário dizer o que se vai fazer à casa de banho.
Por uma questão de educação, pela sua boa reputação sobretudo, AMOR AO PRÓXIMO, escrevo este texto, que vale o que vale.
Por: José Carlos de Almeida  “Joseka Makiesse”
Share.

Leave A Reply