Carta aberta ao músico Kelly Silva – Edy Lobo

0

Saudações, suposto homem de arte e cultura. É de bom grado que espero que a presente missiva vos encontre de pleno estado de saúde mental, física e espiritual porque o que temos visto nestes últimos dias diagnosticam um certo distúrbio artístico de vossa capacidade criativa.

Nós, público amante da música nacional e provavelmente leigo no que toca fazer música, começamos a bem pouco tempo a valorizar o que é nosso porque há já algum tempo que rogamos aos céus que nos mandassem cantores e compositores com um certo rigor de modos para que as nossas atenções sejam mais locais e pouco estrangeiras.

Quando surgiram nomes que estão muito bem posicionados no mercado europeu (prefiro não citar nomes para não engrandecer de maneira exagerada tais artistas) aplaudimos, nos regozijamos e sentimos-nos vangloriamos com o pouco que está a ser feito e ver o nome do nosso país no centro de alguma atenção esquivando assim a subida do preço do petróleo e alguma malária que devastou.

Ali, de repente, numa época em que as atenções estão viradas para o estado da nação, em que as setas da concentração estão totalmente viradas para uma Angola melhor com as eleições, surges com uma flecha do cupido invejoso trazendo feridas artísticas com esta tua nova obra musical e com um vídeo clipe monstruosamente “sexy”, flagelando nossa esperança de continuar a ver boa produção ou pelo menos aquela que nos habituastes a fazer nos primórdios da tua carreira.

Caríssimo irmão angolano, diz-no qual a tua intenção. Distrair-nos apenas ou mesmo tentar ressuscitar o teu nome que já não está muito bom no mercado, porque depois desta, a petição para que pares de cantar está prestes a sair.

A vontade de sair do oculto hoje está assaz perigosa. Sei que muitos preferem fazer disparates e serem mal falados mas estão a ser falados do que tentar concorrer com um “Picasso” e se calhar ser reconhecido mais tarde. Sei que a vontade de comer não espera.

Caríssimo irmão angolano, hoje a tecnologia guarda tudo. Não será nada bom para os teus filhos verem a tentativa pornográfica do pai deles de surgir num mercado competitivo. Muitos de nós também já fizemos coisas para sobreviver. Coisas do ofício, mas logo você que até já substituíste Alexandre Pires num dos espetáculos do Rei do “Djonny”, o kota Riquinho?!!

Foste muito longe. Mas enfim…!

Quem te escreve não te odeia nem tampouco tem inveja do teu trabalho. É só mesmo um amante da arte e do bem fazer que te alerta para que não sejas o coveiro da tua própria profissão. Cuidado com quem te aconselha. Esse é que deve ser o puro invejoso, o teu Bruxo.

Sem mais de momento, despeço-me com o coração magoado. Esperava mais de ti mesmo sabendo que dali já não sais.

Por seres angolano estou contigo mesmo debaixo deste fogo cruzado que está a ser a tua, agora pobre carreira.

Fonte: Club-K

Share.

Leave A Reply