A pontualidade

0
FALTA DE PONTUALIDADE & MÁ EDUCAÇÃO
A pontualidade está relacionada com o rigor no cumprimento do tempo, ou seja, prazo e hora estabelecidos para realização de eventos e cumprimentos de obrigações contratuais ou impostas hierarquicamente. «Encontrámo-nos no próximo domingo, às 15 horas»; «Reunião está marcada para sexta-feira, as 8 horas»; «Essa Comissão tem 3 meses para realização do inquérito sobre…».
O cumprimento da pontualidade indica respeito pelas pessoas e instituições, além de permitir uma consideração positiva da pessoa que o observe. Com efeito, a pontualidade exprime boa educação e amor ao próximo, na medida em que se leva em boa conta o tempo de outra ou de outras pessoas. O respeito pela pontualidade faz que outra pessoa não perca tempo.
Quando alguém vai a um encontro ou a qualquer evento, muitas vezes, depois de uma ponderação, prescinde de outros eventos. Às vezes, sacrifica-se o descanso e o conforto para que se esteja presente num determinado acontecimento social ou político.
Infelizmente, em Angola, a generalidade das pessoas não respeita a pontualidade. As pessoas combinam encontros, mas muitas, a maior parte das vezes, elas chegam atrasadas aos eventos. O engraçado é que, em alguns casos, o anfitrião chega mais tarde do que o convidado. Assim, nos restaurantes em que tenham combinado, é o convidado que recebe o anfitrião, quando deve ser ao contrário, isto é, o anfitrião receber o convidado. Que chatice! Que situação de mau gosto!
Há pessoas mal-educadas ou estúpidas que não valorizam o tempo das demais. Esse desrespeito e desconsideração é mais acentuado, quando a outra parte está numa situação de dependência. Assim, diz-se: «Ele que espere! Ele precisa de mim».Muitas vezes, essas pessoas estúpidas dizem: «Estou já a caminho», quando, na verdade, ainda estão em casa. Nesses casos, por respeito a outra pessoa, é preferível que se seja sincero: «Perdoe-me! Estou um pouco atrasado. Não se importa de esperar mais um pouco?». Com essa declaração sincera, o emissário que esteja à espera poderá gerir o seu tempo. Poderá adiar o encontro ou aproveitar o entretanto para fazer outras coisas nas redondezas.
OS VÁRIOS EVENTOS
Em Angola, as cerimónias nupciais têm início muito tarde. Em consequência, o copo-d’água começa tarde. Muitas vezes, quase no dia seguinte. Por isso, as pessoas ficam pouco tempo no local da festa. Muitos nubentes e seus familiares não levam em consideração a disponibilidade dos convidados. Não se ouve nenhuma palavra de apreço, nem pedidos de desculpa pelo atraso do evento, dirigidos aos convidados, que paciente ou impacientemente, estiveram à espera. Que indiferença!
OS ESPECTÁCULOS
A maior parte dos eventos cultuais, nomeadamente, espectáculos musicais começa muito tarde. Em muitos casos, uma hora e meia ou duas horas depois do tempo marcado para o seu início. Assim, os espectadores que tenham disponibilidade para ficar duas horas, forçadamente, ficam horas a mais, sacrificando outras actividades, nomeadamente, organização de tarefas domésticas. Duas horas é tempo bastante para alguém organizar a casa, passar a ferro ou fazer outras actividades domésticas ou ainda organizar documentos ou enviar correspondências electrónicas, bem corrigir algumas provas, etc. Os espectadores despendem muito tempo para assistirem a um espectáculo ou concerto (prefiro o vocábulo espectáculo ou concerto à palavra inglesa «show»).
O Estado angolano pode aplicar muitas aos organizadores de eventos culturais, com o fundamento em publicidade enganosa e/ou violação dos direitos dos consumidores, quando os mesmos começarem muito tarde. Quem paga as horas a mais que os espectadores são forçados a permanecer nos locais de espectáculo? Essas multas podem constituir uma fonte honesta e legal de receita. Por outro lado, disciplinará os organizadores de eventos culturais e obrigá-los-á a realizar as suas tarefas com mais profissionalismo. De facto, será uma forma de o Estado educar os diferentes agentes culturais, incluindo os espectadores, que propositadamente chegam atrasados, devido à convicção de que o evento começará muito depois da hora prevista.
EVENTOS POLÍTICOS
Consta-se que, em Angola, os eventos políticos começam muito depois da hora marcada. O atraso é notório e tedioso. Os comícios e reuniões políticas começam consideravelmente tarde. Essa má organização é inerente a quase todos os partidos políticos. Prefiro dizer «quase» para salvaguardar um eventual partido que se possa considerar bem organizado em questões de pontualidade.
Grande parte dos eventos políticos do MPLA, particularmente os de massa começa muito tarde. Os membros, amigos e simpatizantes ficam à espera, durante muito tempo. Muitas vezes, com fome, com sede e sob o sol ardente, ficam à espera de quem vá presidir ao evento. Algumas pessoas acabam por se ir embora, devido ao tempo de espera e ao desconforto.
Infelizmente, quando a pessoa indicada para presidir ao evento chega ao local, não se ouve nenhum pedido de desculpa aos presentes, pela longa espera. Sinceramente, é de se lamentar! O que me deixa intrigado é o facto de o MPLA ser o partido que sustenta o poder – meu partido. Quem está no poder organiza a administração pública. Um dos aspectos organizacionais da administração pública, além da assiduidade, está relacionado com a pontualidade. Mas como é possível exigir pontualidade aos trabalhadores, se os governantes não respeitam a pontualidade, nem têm cultura da pontualidade? Que incongruência imperdoável!
Alguns poderão pôr em causa a minha militância, por criticar essa atitude. Contudo, apraz-me dizer que sou um membro do MPLA de coração. No meu sangue há uma substância raríssima, que se chama «mampelífolo». Ninguém ma pode tirar. Quem quiser soletrar pode fazê-lo, agora: «mampelífolo». Por causa dessa substância, há risco de eu dar sangue a alguém e o beneficiário cantar, aos gritos: «Com o Povo, heróico e generoso; No Combate pela Independência, nossa voz por Angola ecoa…» – Hino do MPLA.
OUTRAS ACTIVIDADES
Em termos de pontualidade, nem tudo está mal. Graças a Deus, não se regista grandes atrasos nos eventos religiosos e desportivos. Os programas radiofónicos e televisivos que também, são realizados por algumas pessoas, em alguns casos, e por muita gente, noutros casos, começam à hora. Então, pergunta-se, por que é que os espectáculos musicais também não começam à hora marcada? Os frequentes atrasos devem-se à falta de consideração dos organizadores em relação aos espectadores? Será que não existe profissionalismo? E se não existe profissionalismo, por que é que se diz «Estamos sempre a subir»? É notório que, em relação à pontualidade, «estamos sempre a baixar».
Quanto às actividades teatrais, de uma maneira geral, há melhorias. Os agentes têm sido pontuais, embora haja algumas pessoas que cheguem atrasadas às salas de teatro (e cinema), incomodando os demais espectadores. Façamos um pacto social.
«Constitui má educação chegar depois do tempo previsto para o início de uma peça teatral ou filme». Não queira ser considerado mal-educado. O facto de se baixar durante a entrada não retira a estupidez e a má educação do atrasado.
Na minha adolescência, eu fazia teatro na Paróquia de Nossa Senhora das Graças. A pontualidade era imposta pelo irmão José Martinez (missionário basco). Independentemente, do papel que alguém representasse, quem chegasse atrasado era corrido.«Rua! Vai-te embora!». No dia seguinte, chegava-se cedo. O rigor do irmão José era dissuasor.
Gostava de apelar os governantes, os gestores e os demais amigos que não respeitem a pontualidade para que mudem de atitude, pois o tempo tem um valor económico. É importante respeitar o tempo de outrem e a disponibilidade temporal de outras pessoas.
Para terminar, gostava de dirigir uma palavra de apreço à TAAG, devido ao facto de registar melhorias em relação à pontualidade! Parabéns Nossa Companhia de Bandeira!
JOSÉ CARLOS DE ALMEIDA – JOSECA MAKIESSE
Share.

Leave A Reply