Administrador do Kilamba faz balanço de 2017

0

João Baptista Domingos, que está prestes a completar um ano desde que foi nomeado no mês de Janeiro pelo Governador de Luanda, como Administrador do Distrito Urbano do Kilamba. E segundo o Administrador, muita coisa foi feita em tão pouco tempo como o melhoramento da segurança e iluminação pública na Centralidade.

Na entrevista concedida exclusivamente ao nosso portal, João Domingos falou sobre o balanço do ano 2017, perspectivas para 2018 e deixou ainda a mensagem de fim de ano aos moradores.

KilambaNews – Qual é o balanço que o Senhor Administrador faz para o ano 2017?

João Baptista Domingos– O balanço das actividades realizadas pela Administração no Distrito Urbano do Kilamba durante o ano 2017 posso considerar que não foi negativo porque muita coisa alterou-se para o positivo para o bem-estar do morador. Nós quando começamos com as actividades, o quadro que se apresentava no Kilamba sob o ponto de vista da segurança não era bom. Kilamba estava assolado por uma onda de vandalismo muito grande e os níveis de segurança eram altos. O morador não podia movimentar-se sobretudo a noite.

KilambaNews – Quando começou com as suas tarefas qual era o estado da imagem da Centralidade?

João Baptista Domingos – Podemos considerar que o Kilamba estava quase as escuras, porque estava iluminada apenas de 35% a 40% das suas capacidades e actuamente está a 70%. E na altura, a imagem não era boa, tínhamos uma acumulação de lixo em quase todos os pontos da cidade, e as árvores estavam em péssimo estado de apresentação e era necessário fazer muito trabalho, e foi feito.

KilambaNews – Sobre os vários problemas nas moradias, o que a Administração tem feito para
melhorar este quadro?

João Baptista Domingos – Os apartamentos do Kilamba são ainda geridos pela Imogestin, mas há problemas com estas moradias que assolam os moradores como a infiltração das águas e fissuras das paredes. E normalmente os moradores recorriam a nossa instituição a pedir socorro e a Administração tinha de reagir no sentido de encontrar formas prácticas para a resolução dos problemas.

E tivemos que utilizar as nossas inteligências no sentido de criar uma comissão técnica para acompanhamento dos problemas das moradias. E nesta comissão integram representantes da Administração e da Imogestin.

KilambaNews – E como está o Kilamba em termos de segurança?

João Baptista Domingos – O Kilamba hoje está diferente. Os níveis de segurança que havia no início de 2017 já não se fazem sentir, hoje o morador já pode circular normalmente tirando este e aquele caso que acontece.
A nossa polícia já tem uma actuação que permite que a integridade física do morador e dos seus móveis e imóveis sejam garantidas, não a 100% mas num percentual superior a 70%.

E estamos preocupados com o elevado nível de assalto a viaturas na procura de placas electrónicas. Tem surgido informações a minha pessoa sobre assalto as viaturas, a Administração e a polícia estão a arquitetar formas de poder neutralizar as acções destes delinquentes.

KilambaNews – Uma das maiores preocupações dos moradores é com relação ao reboque das viaturas pela fiscalização. Quais são as medidas que serão implementadas pela Administração para melhorar esta situação?

João Baptista Domingos – O reboque é trabalho da nossa fiscalização que visa disciplinar o estacionamento das viaturas aqui na Cidade do Kilamba. O processo é feito sempre que o utente da viatura comete uma transgressão no estacionamento por cima dos passeios e jardins dos edifícios.

E nem sempre o morador que tem transgredido paga a multa, a acção da fiscalização também tem o lado pedagógico. Muitas vezes procedemos a entrega das viaturas a custo zero. Naqueles casos em que damos conta que a pessoa o fez com necessidades extremas, como mulheres grávidas, pessoas em estado de evacuação imediata e em casos como desconhecimento das regras por artes de pessoas que não vivem na cidade.

KilambaNews – Quanto a privatização dos parques de lazer anunciado pelo Administrador em entrevista para a RNA. Quais os requisitos necessários para as entidades interessadas em terem um espaço na centralidade?

João Baptista Domingos – Esta privatização deve ser entendida como uma práctica de parceria da Administração com o privado no quadro da parceria pública. Nós normalmente cedemos estes espaços a pessoas que nos apresentem projectos exequíveis e sustentáveis de melhoramento do parque, pois a Administração não tem capacidade de cuidar dos parques.
O projecto deve nos convencer que vai transformar o parque num local de lazer e que tenha capacidade financeira para o efeito. Todo aquele que nos apresentar estes elementos, a gente cede o espaço disponível sem olharmos para a cor, raça e filhação partidária da pessoa.

KilambaNews – Constatou-se pouca decoração nesta quadra festiva. O que aconteceu?

João Baptista Domingos – Não temos capacidade financeira para fazer a decoração que todos desejaríamos. Eu vou agora a caminho de um de administração do Kilamba, mas nós fizemos algum esforço para iluminarmos a árvore de natal e tornar o Kilamba mais iluminado no quadro público. É uma prenda que nós demos aos moradores.

KilambaNews -E para finalizar, qual é a mensagem que o Administrador deixa para todos os
moradores do Distrito Urbano do Kilamba?

João Baptista Domingos – Para os moradores do Distrito Urbano do Kilamba, eu quero antes de mais desejar festas felizes em comunhão da sua família e desejar tudo de bom, muita saúde e que transitem 2018 com muitos êxitos.

Share.

Leave A Reply