Falta de saneamento básico continua a ser preocupação

0
243

Os documentos existentes sobre o saneamento básico, macrodrenagem das águas pluviais e residuais constituem a base da actuação da nova direcção da Unidade Técnica de Gestão do Saneamento de Luanda (UTGSL), com vista a melhorar o meio.

A garantia foi dada pelo actual director da UTGSL, Afonso Antas Miguel, durante o acto de tomada de posse. O responsável reconhece à Angop que os problemas de saneamento básico são de uma dimensão extraordinária para a cidade de Luanda, pela forma como cresceu, desprovida de infra-estruturas, representando, assim, um grande desafio para a sua actividade.

Mas, apesar de tudo, disse sentir-se tranquilo por existirem documentos orientadores sobre a política de desenvolvimento do saneamento. A intenção é tornar Luanda numa cidade com todas as infra-estruturas próprias do meio urbano.

“O abastecimento de água, o sistema de drenagem das águas pluvial e residual e a gestão de resíduos, são os primeiros passos que qualquer meio urbano tem que dar para que sobreviva como meio urbano”, explicou.

Afonso Antas Miguel manifestou o desejo de encontrar soluções que reflictam o contexto, o perfil socioeconómico dos utentes e a necessidade de cada um participar e comparticipar financeiramente nos encargos do lixo.

O director dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria, Baptista Adão Correia, informou que uma das suas prioridade recai para a prova de vida dos ex-militares para se reajustar o cadastramento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here