Selecção de andebol vai ter de fazer pela vida para apurar-se

0

A fazer pela vida para evitar ficar fora dos oitavos do Campeonato do Mundo, facto que não acontece desde a edição número 16, em 2003, na Croácia, a Selecção Nacional fracassou ontem a busca pela primeira vitória no mundial que decorre na Alemanha, ao consentir derrota, 19-26, para a França, no jogo que marcou a segunda jornada do grupo preliminar A.

A derrota de ontem, para a França, veio agravar a condição da selecção nacional que é obrigada a vencer dois jogos se, no mínimo, quiser repetir o resultado do último mundial.
Soubak está consciente de que há uma linha ténue entre o sucesso e o fracasso, nesta sua primeira missão oficial com a selecção nacional. Precisa encontrar uma segunda equipa para vencer, isto na perspectiva de que venha a vencer o Paraguai que é a equipa menos cotada do grupo.
Pela frente tem a Eslovénia, Roménia e o Paraguai. A Roménia está embalada, na liderança do grupo, com duas vitórias ao passo que a Eslovénia teve arcaboiço para vencer a França, embora tangencialmente, 24-24, indicador bastante para clarificar a sua provável posição junto das comandadas de Morten Soubak.

Magda Cazanga marcou o primeiro golo da partida e Angola esteve sempre à frente do marcador e, desde o minuto 13, por dois golos. O terceiro golo de vantagem teimava em surgir e acabou por não surgir. Aos 17 minutos o técnico francês, vendo o ascendente do jogo das angolanas, Olivier Krumbholz, técnico francês solicita UM \”time out\”. Foi o toque que a França precisava! Desde aquele momento as gaulesas melhoraram o seu jogo defensivo e lograram empate no marcador a sete golos. Só tinham empatado antes a dois, quando ainda contavam três minutos de jogo.

Aos 27 minutos a França decretou o fim do seu sufoco, chegou à vantagem no marcador, 10-9 e nunca mais largou a dianteira. Ao intervalo venciam por 11-10. No reatamento, Belinha empatou a partida e deu ideia de que as Pérolas tinham voltado ao jogo, mas ficou por aí.

A França explorou o contra-ataque, \”cavou\” cinco golos de vantagem e obrigou a guarda-redes angolana Cristina Branco a cometer uma falta fora de sua área que lhe custou a expulsão. Com Marta Alberto as coisas ficaram mais facilitadas para as francesas, enquanto as Pérolas continuavam o cortejo de erros técnicos. A cada erro, um contra ataque certeiro.

A França marcou oito golos em nove contra ataque, enquanto Angola apenas logrou um tento em três tentativas. As esperanças angolanas de reviravolta no marcador, esfumavam-se à medida que o jogo caminhava para o fim.
Os jogos do grupo foram abertos pela vitória da Roménia, 31-28, sobre a Eslovévia. A Espanha fechou o dia diante do Paraguai.

Share.

Leave A Reply