Centralidade do Capari ganha posto policial e centro de saúde

0
65

Dois edifícios da centralidade do Capari, na província do Bengo, foram entregues hoje, sexta-feira, pelo Ministério do Urbanismo, Ordenamento do Território e Habitação ao Governo Provincial para a instalação de um centro de saúde e um posto policial.

Com oito apartamentos cada, os edifícios serão adaptados para que neles funcionem, provisoriamente, o centro de saúde e o posto da Polícia Nacional, conforme explicou o representante do Ministério do Urbanismo, Ordenamento do Território e Habitação, Arnaldo Neto.

A entrega, segundo o responsável, é o cumprimento da promessa da ministra do Urbanismo, Ordenamento do Território e Habitação, Ana Paula de Carvalho, feita aquando da sua visita a Centralidade de Capari, em Julho deste ano, sublinhando ser uma solução provisória, pois serão construídos esses equipamentos sociais no local.

Em declarações à imprensa, a segunda comandante provincial do Bengo da Polícia Nacional, Helena Vaz de Almeida, disse que vão adaptar os apartamentos para o posto policial ou esquadra de forma a melhorar a relação de proximidade com o cidadão nesta região.

“Temos a Unidade de Objectivos Estratégicos por trás da Centralidade do Capari, que está a assegurar, em condições não adequadas, a segurança e a traquilidade pública da zona.

Já o representante do Gabinete Provincial da Saúde do Bengo, André Pedro, considerou uma mais-valia a recepção do edifício, pois dentro da Centralidade do Capari não existe nenhum posto de saúde, adiantando que dentro de dias os técnicos de saúde estarão instalados com o equipamento necessário.

Os moradores da centralidade, nas vozes de Mário Clemente e Alberto Alfredo, consideram uma mais-valia a colocação dos referidos serviços.

Notaram o registo da criminalidade, marcado com arrombamento de apartamentos para o roubo de material eléctrico.

Relativamente ao centro de saúde, consideram que vai evitar com que os moradores da centralidade se desloquem a Caxito, Barra do Dande ou Panguila para ter acesso aos serviços médicos.

Com quatro mil apartamentos construídos, a Centralidade do Capari tem apenas mil e 600 moradias habitadas.

info@kilambanews.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here